15 de jan de 2019

Daquilo que faz valer a dúvida


Seríamos mais serenos se a inquietação da dúvida não nos tivesse mordido o calcanhar. De onde vimos? Para onde vamos? Tantos contos foram escritos para suavizar nossa curiosidade, mas há perguntas para as quais nunca teremos respostas. São secretas porções mágicas do universo. Na nossa sede para saber as respostas, esquecemo-nos do mais importante, estamos aqui. E por pouco tempo. Depois... Sei lá.
Então o que estamos fazendo para que esse agora seja tão bom que compense qualquer dúvida? Que maravilhoso advento a nossa curta existência trouxe a esse mundo? Não sei. O que eu vejo são pessoas amontoando tesouros, e eu não sou diferente. Também amontoo os meus. 
Gosto de recolher sorrisos. Gosto de encontrar alguém triste e lhe roubar a tristeza pondo um sorriso no lugar. Quando esse sorriso tem som meu coração se encanta. E gargalho por dentro, ontem uma amiga estava triste e eu a fiz sorrir. Que doce encanto! Por isso sou engraçada boa parte do tempo. E talvez por isso eu esteja aqui, pela matemática. É que conto sorrisos como quem conta estrelas. 
#UmTextoPorDia
#365Dias&Palavras

0 comentários:

Postar um comentário

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados