1 de jun de 2018

Voltando para casa



Estive perdida. 
Ondas me levaram para longe. 
A tempestade cegou meus olhos.
Eu andei em círculos por muito tempo.
Eu ouvi muitos pássaros, voando sem parar,
Quando nos falta o chão nos sobra o ar.
Eu voei por muitos céus.
Fui muitas versões de mim até esquecer quem sou.
Eu saltitei infinitos.
Hoje volto para o inicio da jornada,
De quem eu sou,
De quem estou tentando ser,
Da minha essencia e morada,
Estou voltando para casa.

5 comentários:

  1. " o bom filho à casa torna",
    cara amiga.
    e à mesa (minha) há sempre um lugar
    guardado para si.
    que mais se pode esperar, em tempos difíceis de ultrapassar?
    gostei muito destes três poemas ultimos.
    um beijo


    ResponderExcluir
  2. " o bom filho à casa torna",
    cara amiga.
    e à mesa (minha) há sempre um lugar
    guardado para si.
    que mais se pode esperar, em tempos difíceis de ultrapassar?
    gostei muito destes três poemas ultimos.
    um beijo


    ResponderExcluir
  3. Que bom quando novamente há a volta... Linda poesia! bjs, chica

    ResponderExcluir
  4. o bom/a filho/a a casa torna.
    e, a mesa posta, na espera
    que outros "pratos" sejam servidos.

    belíssimo poema, este, amiga.

    um beijo

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados