5 de dez de 2016

Do que nunca há de se saber


Hoje ela chorou. É sempre difícil aceitar o luto. Um ponto final... Ela sabe que teve mais do que muitas pessoas.  Até mesmo uma despedida digna, um abraço tão forte que parou o tempo. E a sua voz uma última vez, dizendo que queria ficar, mas... Tanto cabe nesse “mas”, cabe tantos sonhos, comprometimento e felicidade alheia.
Ela sabe que não nasceram nessa vida pra dividir o mesmo oxigênio, ainda assim... Como é triste a completa indiferença. Lembro de um professor de Saúde Mental que dizia isso, que do amor não é o ódio seu oposto e sim a indiferença.  Esse mundo tão perfeito e tão coerente não foi feito para pessoas como ela. Porque saber, entender, não é suficiente para deixar de sentir.
Ela sabe que ele deve culpa-la, sempre é mais fácil culpar o outro. Culpa-la por existir, culpa-la por não ter partido antes, porque ela é uma pessoa horrorosa, desprezível, insignificante no planeta. Culpa-la por ela ainda ama-lo. Como se de alguma forma mirabolante ela tivesse criado toda a situação. Ela se lembra bem de quando ele a acusou agressivamente de ter intenções de prejudicar sua vida. Atrapalhar. Causar dano.
Ela sabe! O que ela não sabe, o que ela nunca vai saber, é se tudo foi só estória. Um emaranhado de contos desses que contamos para as crianças antes de dormir. Talvez... Talvez ele nunca a tenha amado. Nunca! E por isso tudo foi mais fácil do outro lado. É... talvez ele esteja certo. E ela tenha criado toda situação e tudo não passou de um conto criado por uma sonhadora. Uma ilusão.

Doce sonhadora, aceite... Aceite a morte da estrela, aceite secar o Mar, aceite que você sonhou tudo, você, só você. E tente ser feliz. Porque você nunca vai saber. Mas no fundo você sabe que ele nunca a amou. 

2 comentários:

  1. Olha, na ida para meu trabalho, tinha uma frase pichada assim no muro: 'perdoe-me por eu existir'. Tenho a impressão que algumas pessoas querem que digamos isso, que fomos nós que estragamos tudo, quando a verdade é que elas nunca estiveram nem aí. Mas os maiores culpados somos nós mesmos, porque deixamos o relacionamento acontecer assim. Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já disse essa frase aí algumas vezes rsrs Com certeza, há uma personagem de um seriado que eu sou completamente apaixonada que disse o seguinte:"Se você quer que merdas parem de acontecer com você, então pare de aceitar merda e exija outra coisa."
      Então sim, é culpa nossa. Quando algo é ruim pra nós o correto é parar. Mesmo que isso nos deixe tristes. Vc é esperto Lucas. Beijo

      Excluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados