31 de ago de 2016

Sobre a tristeza que faz escrever


No viés do tempo, nas letras e cantos do mundo a tristeza e a angustia são docemente entoadas, o Rei Davi em um de seus salmos disse que laços da morte o cercaram e angustias do inferno se apoderaram dele.
Sempre me perguntei quanto de dor um coração pode suportar até que o indivíduo se veja sem saída. Quanto?
Depende do coração e da pessoa. Conheço pessoas que não suportariam um átomo da dor que eu carrego e conheço outras que levam universos de dor dentro do peito. “angustias do inferno”. Foi Sartre que disse “o inferno são os outros” e eu completo: o inferno são espaços vazios que os outros deixam quando se vão.
Quanto? Quanto cabe? E quanto dura?
Rubem Alves (meu cronista preferido que virou estrela) disse que tristeza é reação natural da alma diante da perda de algo que se ama. Adélia Prado, disse que o que a memória ama fica eterno. Já pensou? Uma eternidade de dor, aquela dorzinha que dá vontade de chorar, aquela dorzinha que dá vontade de dormir e só. Aquela dorzinha que faz tudo parecer opaco. Sem vida.
Fernando Pessoa versejou “Um cansaço de existir, De ser. Só de ser.” Renato Russo cantou que hoje a tristeza não é passageira. Vinicius de Morais implorou: tristeza por favor vá embora.
Quanto?
Muita. Muita. Muita. Muita. Muita.
Rubem Alves, em outro de seus livros disse que ostra feliz não faz perola, é o sofrimento do grão de areia incomodando, doendo, que a forma. Pois é... Mas hoje não tem pérola! Hoje só o incomodo silencioso e triste de existir e ser, com uma pequena esperança de que amanhã algo precioso nasça disso e se não nascer, a gente escreve e segue escrevendo dia após dia, porque é pra isso que as letras dançam em palavras: pra nos fazer sobreviver.


4 comentários:

  1. O que você escreveu é tão complexo que eu não consigo comentar em poucas linhas e não gosto de encher o blog com um comentário enorme. Então, resta dizer isto: O centro de tudo é "quanto"? Sim, "quanto? quanto cabe? quanto dura?" Certo. E a resposta mais imediata é o foco. A segunda é vida. A terceira é tempo. E a quarta é oportunidade. Você escreve bem demais. Qual é o endereço de seu face? Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lucas,

      Sempre bom que ter vc por aqui. Eu não uso facebook há muito tempo. Acho que nem lembro mais a senha.
      Só twitter mesmo @lira_juu

      Beijos

      Excluir
  2. Lindo te ler,Juliana e por vezes a tristeza fica trancada.Tu consegues dessa inspiração fazer lindos textos. beijos, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc é uma querida.
      É doce quando o que a gente escreve é apreciado.

      Beijos

      Excluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados