5 de fev de 2015

Meu riso é tão feliz contigo...




Quando você chegou tropeçando na tua história -escancarada para quem quisesse ver- eu achei graça. Achei graça de ser tão bobo, achei graça de mudar tanto por alguém. Achei graça de tá sofrendo por alguém que não via o quanto você é divertido, especial e inteligentemente cretino.  CRETINO.
Daí você chegou mais perto e meu riso ficou preso na garganta. Engasguei. Engasguei de susto, um pouco de medo também. Medo do que estava sentindo e vendo, medo porque você era tão dela, jeito, respirar, até seu nome era dela.
E você veio e prometeu amor e sonho. Prometeu ficar. E meu caro, prometer ficar para alguém acostumada a ver as pessoas partirem é algo serio demais! Coloquei exércitos ao meu redor, ergui muralhas, joguei sal nas feridas... Tudo em vão. Você venceu a guerra e conquistou meu coração como se conquista um reino.
Acampou. Sitiou. Fez morada.
E o riso preso na garganta saiu em voos mundo afora. Universo a fora. Você Uniu meus versos. Mas não era meu. Jeito, respirar e até o nome... Você era dela. E te vi partir como se nada tivesse acontecido. Nada. Apenas o sonho que me prometeu.
Tentei reerguer meus muros, tentei recolocar meus exércitos e me proteger, me afastar. Esquecer... Todavia, você já estava dentro. Mesmo sendo dela parecia que eu continuava sendo tua. Mesmo tendo motivos pra te odiar, seguia te amando.
Daí que não achei graça de mim. Não achei graça de ter a minha história escancarada para quem quisesse ver, não achei graça de ser tão boba, de ter mudado tanto por você. Não achei graça de tá sofrendo por alguém que não via o quanto sou divertida, especial e inteligente. Alguém que é tão meu quanto o cosmos poderia ser.
E mesmo assim percebi que não adiantava fugir, proteger, tentar esquecer.
Se eu tivesse mil vidas, mil vidas queria sentir tudo de novo, viver o que vivi. É que como na canção meu riso é tão mais feliz contigo. E a felicidade é pássaro que voa longe... Mas mora nesses teus olhos e pousa bem no meu colo quando você está comigo.

6 comentários:

  1. Tem coisas que são para sempre, que que a gente não queira.
    Bjux

    ResponderExcluir
  2. Ju :)
    Como vai?
    Belo texto. Queria ter alguém assim para dar sentido ao meus textos. Alguém que faça entender o que é estar apaixonado.
    Curta esta fase e nos presenteie com mais textos :)

    Beijos e se cuida
    www.rimasdopreto.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Juliana!
    Você foi indicada pra responder uma tag lá no blog. Pode fazê-la por escrito aqui no Reticências.
    http://literaturaeeu.blogspot.com.br/2015/02/video-tag-know-your-blogger.html#more

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  4. Que beleza de texto Ju! Ficou simplesmente lindo e verdadeiro. Amei!

    ResponderExcluir
  5. Como fugir do que, de alguma forma inexplicável, atrai tanto tudo que nós somos e sonhamos? Como fugir de alguém, ou construir frágeis muros, quando não deixamos os muros sem portões, e os portões estão sempre abertos???
    Belíssimo. Abraçossssss

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados