4 de mai de 2014

Resenha: O Projeto Rosie

Título: O Projeto Rosie
Autora: Graeme Simsion
Páginas: 320 
Editora: Record
Avaliação: 5 estrelas + Favorito

Para se ter a vida de Don Tillman, não é preciso muito esforço. Às terças-feiras come-se lagosta com salada de wasabi (seguindo um roteiro com refeições padronizadas que evitam o desperdício de ingredientes e de tempo no preparo); todos os compromissos são executados de acordo com o cronograma – alguns minutos reservados para a prática do aikido e do caratê antes de dormir; uma hora para limpar o banheiro; três dias da semana reservados para suas idas à feira – e se, apesar dessa programação, algum desagradável contratempo surgir em sua rotina, não há nada que não possa ser solucionado com meia hora de pesquisa científica.
Exceto as mulheres.
Até o momento, a única coisa não esclarecida pelos estudos no campo de atuação de Don, a genética, é o motivo para sua incapacidade de arrumar uma esposa. Uma namorada ao menos? Ou até mesmo uma amiga para somar ao seleto grupo de amigos de Don, formado por Gene, também professor na universidade, e a mulher dele, Claudia, psicóloga e esposa muito compreensiva.
Para solucionar esse problema do modo mais eficaz, Don desenvolve o Projeto Esposa, um questionário meticuloso que irá ajudá-lo a filtrar candidatas inadequadas a seu estilo de vida: fumantes JAMAIS, e mulheres que se atrasam por mais de cinco minutos ou que usam muita maquiagem estão fora dos critérios pouco flexíveis que o levarão à mulher ideal.
O único problema é que um questionário desse tipo exige tempo e dedicação, duas coisas que começaram a diminuir exponencialmente no cotidiano de Don desde que ele conheceu Rosie: fumante, vegetariana e incapaz de chegar na hora marcada. Ou esse era o único problema até Rosie entrar na vida de Don e – despretensiosamente, uma vez que ela nunca se candidatou ao Projeto Esposa – mostrá-lo que a mulher ideal não existe, mas o amor, sim.

Existe alguma coisa em mim que repele as mulheres. Nunca achei fácil fazer amizades e, pelo visto, as mesmas deficiências que causaram esse problema também afetaram minhas tentativas de relacionamentos amorosos.
O Projeto Rosie tem um enredo fofo e bonito. Eu o li juntamente com a Lú do Clicando livros e a Yaya, foi divertido ter com quem falar sobre, apesar de que a gente se reuniu pouco para comentar as impressões, mas gostei da experiência meninas, vamos repetir!
O livro conta a história de Don, Don tem 39 anos e ainda não teve um relacionamento. Em compensação ele é genial, metódico e dedicado a tudo que faz. Don apresenta sintomas da síndrome de Asperger, tem dificuldades de se relacionar com muitas pessoas, de sair da rotina estabelecida e de entender algumas nuances da sociedade, tais como ironia e falsidade.
Um dia ele chega a conclusão que quer sim encontrar uma companheira pra vida e tem uma ideia, por que não criar um questionário metódico, com questões de múltipla escolha? Assim ele vai encontrar a parceira ideal, aquela que não se atrasa, não é vegetariana é inteligente e etc? E é assim que o protagonista começa a saga pela esposa ideal. Na fase de analise desses questionários, Rosie, enviada pelo seu amigo, bate em sua porta. E ele achando que é uma das candidatas que respondeu ao questionário resolve dar uma oportunidade para ela mostrar que é a mulher certa.
 Acontece que Rosie tem sua própria ideia do que seja certo ou errado. O que Don enxerga em Rosie, não é a esposa perfeita, mas uma pessoa confusa que nunca chega no horário, não é uma acadêmica, é vegetariana, serve bebidas em um bar e é absurdamente linda. Mas se Rosie é a mulher errada por que depois de conhecê-la Don não consegue pensar em nenhum projeto em que ela não esteja?
 Gene me mandou a mulher mais incompatível do mundo. Uma garçonete. Atrasada, vegetariana, desorganizada, irracional, nada saudável, fumante - fumante! -, com problemas psicológicos, que não sabe cozinhar, é matematicamente incompetente, com uma cor de cabelo artificial. Acho que ele estava fazendo uma brincadeira comigo.
Don se envolve nos problemas da Rosie e tenta soluciona-los com ideias bastante criativas e lógicas. É uma aventura atrás da outra, logo ele se vê viajando, aprendendo coisas novas, arriscando a vida rs Gostei muito desses dois juntos. Com eles vi a perfeição da máxima: Os opostos se atraem.
 Se você realmente ama uma pessoa – prosseguiu Cláudia –, deve estar preparado para aceitá-la como ela é. Você pode até esperar que um dia ela acorde e faça aquelas mudanças, mas pelos próprios motivos dela.
Se tivesse uma palavra para definir Don, seria rico. Como não devemos julgar um livro pela capa, também não devemos julgar pessoas. Don não é só nerd, antissocial e metódico, ele é muito mais que isso, é uma pessoa incrível. Sincera e realmente dedicada as pessoas com quem se relaciona.
Poderia adotar os protocolos que as outras pessoas seguiam e me mesclar com elas sem ser notado. E como eu podia ter certeza de que elas não estavam fazendo o mesmo - jogando o jogo para serem aceitas, mas desconfiando o tempo inteiro que eram diferentes?
No início a trama não engrenou, não que não fosse crível ou interessante, é que, para mim, só depois de algumas páginas o ritmo do livro pegou, sabe? Depois que Rosie surge é que tudo ganha mais graça e charme, acho que aí que dá para perceber como a vida do Don era tediosa e chata antes. rs
Rosie é uma personagem incrível que me surpreendeu em vários momentos. Em outros me identifiquei com ela, o jeito meio louquinho de ser, o fato de não está nem aí com o que as pessoas vão achar de como se veste ou vive, entre outras coisas.
Dos personagens secundários o que menos gostei foi o Gene, houve momentos em que realmente quis dá uns sacodes nele, mas sempre me acalmava quando percebia que a amizade que ele oferecia ao Don era sincera. Ou seja, Gene também tinha seus problemas e defeitos , ninguém é de todo mal ou de todo bom. Já a esposa do Gene, a Claudia, eu adorei, ela deu os melhores conselhos para o Don e era a única em meio a tantos psicólogos que parecia enxergar as coisas aos olhos do Don.
"Amar é ter um sentimento profundo por outra pessoa, um sentimento que muitas vezes desafia a lógica".
Adorei esse livro, a capa é linda, com detalhes em alto relevo que faz lembrar vários momentos da
história. É como acompanhar a caminhada de Don até a conclusão final.
Contudo, o que eu mais gostei no livro é que me fez pensar em várias coisas, nas relações que mantemos na vida, no fato de a pessoa certa para você nem sempre ser aquela pessoa perfeita que você imagina, no tempo em que perdemos tentando ser aceitos por quem não vai entender nosso valor e sutilezas, ou tentando nos encaixar, nos moldar, pra caber em algum lugar, nas muitas vezes em que não percebemos as pessoas que fazem nossos dias mais felizes. Na importância de valorizar nossas qualidades, quando muitas, MUITAS vezes as pessoas aparecem para enfatizar nossos defeitos.
E então percebi que não havia desenvolvido aquele questionário para encontrar uma mulher que eu pudesse aceitar, mas sim para encontrar alguém capaz de me aceitar.
Acho que essa é uma história que eu quero contar para os meus filhos, sabe? Daquelas com direito a era uma vez a muito tempo... E que termine com, moral da história. Nem sei porque eu demorei tanto para ler. Culpa da vida que anda correndo tanto que eu mal consigo acompanhar... Recomendo para todo mundo!!! Leiam, leiam, leiam.


Logo, logo veremos essa trama nas telonas, a Sony Pictures comprou os direitos de adaptação para o cinema.

9 comentários:

  1. Apesar do aparente amor de todos para com esse livro eu estou sem vontade de realizar a leitura.
    A história não me conquistou, falou AQUELE elemento. Mas não sabia que a Sony tinha comprado os direitos.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Tenho bastante vontade de ler O Projeto Rosie, mesmo tendo visto várias resenhas negativas no inicio. Também gostei de saber que haverá um filme, mas cara, tenho que ler ele logo!
    Letras & Versos

    ResponderExcluir
  3. Oieee!!! Achei o Don tudo de bom!!! Ri e me emocionei com ele!!
    Estou lendo outro livro onde o personagem também tem Asperger, e é incrível como são parecidos em algumas coisas... como são metódicos... Enfim, encantadores!

    E que bom que gostou. Também quero contar pros meus filhos, ou melhor, quero que eles leiam!!

    Bjkas

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Oi Ju!!!

    To com esse livro pra ler esse mês!!!
    Acredita que antes eu achava que a Rosie era um robô?! kkk
    Não me lembro o motivo que me levou a ter essa impressão... kkkk

    Caramba... Imagina montar um questionário para escolher seu namorado?! Que louco!!! Tenho certeza de que meu marido não ia fazer nem 10 pontos!!! kkk
    Somos bem diferentes, mas é assim que nos completamos! ^^

    Depois que eu ler te conto o que achei!!!

    Beijokinhas da Giii!
    http://aestranhaestantedagi.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Boa noite :)
    Como vai?
    Não conhecia esta obra :O
    Mas me pareceu ser uma obra bem interessante...adicionei a minha lista.
    Vou ler antes de virar filme u.u kkkk

    Beijos e se cuida
    Rimas Do Preto

    ResponderExcluir
  7. Esse é o meu chick lit favorito. Amo o Dom com todo coração, ele (assim como a Rosie) é demais .
    Estou muito ansiosa pro autor lançar mais livos!
    BEIJO!
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. ME DIGA SE ELE MELHORA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Estou com a leitura empacada porque simplesmente associo o protagonista a um Sheldon Cooper mais gato ahauhhuahuahua
    Sua resenha me anima mas não sei, simplesmente não consigo aceitar as manias do protagonista.

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Também achei a capa linda!
    Quando li a sinopse, logo lembrei do Sheldon Cooper!
    Entao, quando li o comentário de cima, ri alto hahahaha
    Nao sei se leria o livro...

    Beijo!
    Juliana
    www.livreeespontanealeitura.blogspot.com

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados