29 de mar de 2014

É só isso, acabou


Quem nunca amou uma lembrança, não sabe o que é viver no passado. Quem nunca quis que o tempo parasse não sabe o que é querer eternizar um momento. Foi uma história escrita por uma mão, apenas. Foi um amor sentido e desejado por apenas um dos lados. Foi um tempo de metáforas e poesias. Eu saberia repetir cada gesto e palavra que agora se perdeu. Encontraria cada linha tecida pelo sonho. Mas agora isso acabou. Eu nem sei se foram aquelas ultimas palavras, ou o que foi me feito prometer, talvez tenha sido tudo. Talvez tenha sido o cansaço de lutar por isso, sozinha. Só sei que quando fui embora deixei naquele abraço todo amor que por tanto tempo carreguei. O som das mentiras saindo daqueles lábios, a mascara caindo e eu apenas querendo colocar de volta tudo de bom que um dia vi naquela face. Foi o espaço entre dizer que ama e que sempre é egoísta com quem diz amar (amor verdadeiro não é egoísta). A pressa em me mandar embora - mesmo sabendo ser a última vez que me veria. Doeu. Doeu mais do que algum dia eu serei capaz de expressar. Mas ao menos tudo foi dito. E entendido. Nossa história nunca tinha sido nossa, ela foi toda conjugada no singular. Eu amei. Eu sonhei. Eu acreditei... Quando fui embora não era tristeza o que carregava dentro de mim, era uma desolação silenciosa. Um enjoo que me embrulhava o estômago. Uma mágoa permanente. O desejo de nunca mais cruzar com aqueles olhos ou ouvir aquela voz. E ainda assim liguei, na esperança de que alguma palavra pronunciada do outro lado salvasse minha alma da ojeriza em que ela estava envolvida. O que eu ouvi foi mais vazio e escarnio. Senti nojo de mim mesma por tê-lo amado tanto. Uma sensação de morte pairando sobre meu peito - morte da esperança, morte da crença. Enviei a ultima mensagem da minha vida direcionada a ele e me deixei cair. Um cansaço tão grande se apoderou de mim que não pensei em todas as portas que eu mesma teria que fechar. Fechaduras que teria que trocar. Só pensei em começar a conjugar certos verbos e aciona-los em minha alma – acabar, finalizar, esquecer, terminar, findar, concluir. Deitada, ouço os ruídos lá fora. Não estou pronta para levantar desse chão ou encarar esse vazio. Ainda não. Sei que nunca conseguirei perdoar e que mesmo sem perdoar terei que esquecer. Esse não foi o final bonito pelo que lutei. Mas foi o final que essa história – ridícula- mereceu. Porque quando finalmente eu levantar desse chão, não serei a mesma, apesar dele ter dito que eu nunca mudo ou vou mudar. Tenho muito a provar. A provar para mim mesma. Eu vou mudar! Eu vou apagar essa história da minha vida e acima de tudo eu vou me tornar, tão impossível e tão inacessível que nem mesmo eu, poderei  me achar. Foi um tempo absolutamente perdido da minha vida e que agora está encerrado. That's it. The end.


7 comentários:

  1. Triste desabafo, triste fim.mas as coisas vão se encaminhando e chega uma hora, temos que ter a postura, pensar, ponderar e então agir! Que sigas em frente, sem tristezas e que uma nova porta se abra. beijos,fica bem,chica

    ResponderExcluir
  2. Minha Lili, veeeem aqui ~~~~ |||õ||
    Você escreve tão bem, triste que esse bem são com palavras tão triste, e mais, que aconteceram ~~~
    Enfim, eu acredito em você, na sua força e que vai seguir em frente, vou uma parte da tua vida que virou passado, agora tem o futuro, coisas boas tem para você!
    Sabes, que estou sempre aqui ~~ ou melhor no Whats shuahsua
    Beliscões da Máh ♥
    Blog |Instagram |Twitter

    ResponderExcluir
  3. Não sei nem explicar o que sentir lendo o texto. É como se ele fosse escrito para me, meio que descobri seu blog ao acaso e sempre gosto de ficar lendo os textos e quando lhe esse, meus pensamentos estava tão bagunçado que realmente parecia que eu estava tendo um conversa com você.
    Parabéns e espero que se levante logo.

    Beijos Rosi
    http://aestranhars.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ju.

    O texto está carregado de dor, amor e desespero.
    Posso dizer que estou em algo meio assim, mas não sei o que
    vou fazer para ter um fim, mas Deus sabe como
    as coisas acabam.

    Lindo e dolorido.

    Beijos!!
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá, querida Juliana
    Tem gente que não nos merece... que todos vejam a verdade custe o que custar...
    Seja feliz e abençoada!!!
    Bjm fraterno e quaresmal

    ResponderExcluir
  6. Um texto forte, comovente, emocionante, extremamente bonito. Poucos autores bem conhecidos escreveram textos tão envolventes. Muito verdadeiro, muito real, que se lê com vontade de afagar seus cabelos e dizer: “ei, psiu, respira fundo, não pensa nisso agora, vamos conversar sobre algo que preciso de sua opinião, e depois prometo que conversamos sobre isso... pode ser?” Não se ama por merecimento do outro, a gente ama porque ama; mas, também não se pode agir friamente contra quem nos ama, todo carinho e respeito é o mínimo que se dedica. Não queremos piedade, queremos apenas decência. Amei o texto, como amo tudo que você escreve. Beijo

    ResponderExcluir
  7. de fato escrevemos melhor quando vivenciamos algo. Sua escrita te dá força, sua maneira de transmitir em palavras dá força para muita gente... e no fundo, artista como és, tenho certeza que nem esse dom nem essa dor, deixará que vc se torne inacessivel a ti e ao mundo. Não faça isso conosco.

    Vem que te dou colo. E te dou coração. O amor maior voce tem dentrod e si e o amor eterno voce tem por si mesma. Amei reticenciar de maos dadas com voce... vamos continuar? beijus

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados