23 de dez de 2013

Resenha: Divergente


Sinopse - Divergente - Divergente - Livro 1 - Veronica Roth


Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.
A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.
E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.


Então... Essa é minha segunda série de distopia. A primeira foi a Seleção, que eu amei. Correndo o risco de ser crucificada em praça pública, vou dizer o que eu achei. O livro é bom. De fato é interessante, gostei da sinopse e gostei de como a autora teceu a história. Todavia, não se tornou um de meus favoritos. Apesar de o final ser eletrizante. Só esse final já faz valer a pena ler o livro, sem dúvidas. Mas o início foi cansativo. #ProntoFalei Quer saber mais?



A história do livro é ambientada numa Chicago do futuro, logo após uma guerra. Tentando apaziguar essa situação a sociedade se dividiu em facções que se organizariam de modo a cada uma dar o melhor de si para o bem comum e evitar que outra guerra surgisse. São cinco facções Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição.
Aos 16 anos os jovens passam por testes de aptidão, que indica qual dessas facções é a mais indicada para eles seguirem. E a partir daí eles deixam a casa dos pais e passam a viver no alojamento da facção que escolheu, onde serão educados e treinados. Não ter uma facção é como não ser ninguém, fica-se totalmente excluído da sociedade. Sem trabalho, sem família, sem identidade.
A família da protagonista, a Beatrice, é da facção Abnegação e ela cresce seguindo alguns princípios como a caridade, o desapego aos bens materiais e a humildade. Ela e o seu irmão vão fazer o teste no mesmo dia, mas seus pais têm certeza de que eles ficaram na Abnegação.

Beatrice faz o teste de aptidão e descobre que não está indicada para nenhuma facção em particular. Ela diverge entre uma e outra, o que faz dela uma Divergente. Mas se não ter facção é algo ruim, ser Divergente é ainda pior. Ela deve guardar esse segredo e escolher uma facção para seguir.


Por fim ela faz a sua escolha (leiam e descubram qual hehehe) e passa a ser chamada de Tris. Faz novas amizades e começa  a ser treinada pelos professores, dentre eles, Quatro, isso mesmo rapaz é chamado de Quatro. E é com Quatro que rola todo um climinha. Mas o problema todo é que Tris começa a perceber que há algo errado nessa sociedade perfeita. E se eles estiverem sendo enganados? E se algo grande estiver para acontecer? É aí onde se desenvolve de verdade toda a história.
Quanto aos personagens, Quatro é bastante interessante. Ele é bem durão, algumas vezes até meio grosso. Mas tem tantas possibilidades a serem exploradas em sua personalidade... Já os amigos de Tris ao mesmo tempo em que gostei deles, os detestei, porque que amizade é essa que para ser meu amigo eu tenho que mostrar que sou fraca, ou que sou algo que não sou? Eu entendi o contexto. Mas não aceitei isso bem, não.
Tris é uma peça. Parece tão desprovida de sentimentos em alguns momentos que até me irritou. Em outros momentos é toda esquentada. É bem confusa ela. Se a trama não fosse tão bem amarrada nem sei... Achei a Tris zzzzzzz. O que salva essa personagem é a coragem.
Ela é extremamente corajosa e persistente. Mas toda essa coragem aliada ao jeito frio, faz ela parecer um robô as vezes. O Quatro mesmo chega a perguntar: “Você é humana Tris?” E olhem que a história é narrada em primeira pessoa, pela protagonista. O que deveria demonstrar ainda mais seus sentimentos. Enfim... A jovem acaba tendo seus momentos. Cada conquista dela acaba sendo um pouco nossa e depois a gente até acostuma com o jeito duro dela. Vai ver é porque ela cresceu na Abnegação e lá sentimentos pessoais não eram bem vistos. Nem no espelho se podia olhar...
O final é surpreendente e bem massa! O livro é bom pacas, mas não entrou pros favoritos não. Eu recomendo. E recomendo que leiam antes do filme sair. É... Vai sair filme, inclusive essa imagem é da Tris do filme. rs

Enfim... Dei 4 estrelinhas no skoob e quero ler Insurgente. Ver se mudo de opinião sobre a Tris, se não mudar eu roubo o Quatro para mim. (Cês me entendem... rsrs)

Quote preferido:

A razão humana é capaz de justificar qualquer mal; é por isso que não devemos depender dela.

P.S: Algo que eu amei foram as tatuagens fiquei até com vontade de fazer igual a da Tris.
P.S 2: Senti falta de falarem da facção da Amizade. Mas em Insurgente vão focar mais.




Divergente 
Veronica Roth
Edição: 1
Editora: Rocco
Ano: 2012
Páginas: 502

6 comentários:

  1. Oi, Juliana! Poxa, que pena que você não gostou tanto assim de "Divergente" :/ Eu sou meio suspeita para falar do livro, eu amei demais a série e me envolvi muito com a história... Mas enfim, "Insurgente" parece ser realmente melhor e eu já não vejo a hora de assistir o filme!!
    PS: Todas querem roubar o Quatro, impressionante... haha
    Jéssica - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá, passando para a última visitinha do ano :3 Amei o Post =D
    Quero lhe desejar Boas Festas e muito sucesso com o seu cantinho!
    Beijos da Bea
    biaalini.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bom?
    Passando para deixar um comentário rsrs
    Amei a resenha, o livro parece ser muito bom mesmo.
    Quero lê-lo!!
    Beijos*-*
    Território das garotas
    http://territoriodascompradorasdelivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Querida amiga.

    Meu desejo para os que habitam
    o meu coração,
    é um mergulho no tempo,
    onde cada dia,
    é um dia de ano novo,
    e cada sonho,
    uma senha a ser descoberta,
    nesta caminhada rumo a alegria.

    Muito obrigado por sua amizade.
    Que sejamos e façamos felizes a cada dia.

    ALUÍSIO CAVALCANTE JR.

    ResponderExcluir
  5. Oi Juliana, concordo com vc a respeito de Tris. Ao contrário da maioria, definitivamente este livro não me convenceu.. Tb lerei o proximo pra ver se mudo de opinião.. bjsss

    http://murronocranio.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  6. Oi adorei sua resenha...mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem..

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados