2 de jul de 2013

Arrumando as malas.


Respirou fundo. As palavras tem um poder estranho... Já não importava quem as anonimamente tivesse pronunciando, elas atingiram o seu objetivo: As feriram para sempre. As ultimas de um jeito fatal. Ela não diria mais nada, só faria as malas e sairia.
Não precisava se justificar, nem dar-lhe explicações. Tudo estava escrito nas entrelinhas desse relacionamento cultivado no singular, nunca no plural. Em cada gesto de ternura recompensado com frieza. Nas ultimas, impublicáveis,  palavras ouvidas. Ou lidas.
Olhou ao redor, o que levaria? A canção feita em uma noite solitária? Teria sido mesmo feita para ela? Duvidava... Duvidava de tudo agora. Duvidava até mesmo do encontro. Deixaria a canção. Levaria o conto do Guerreiro que salva a Lua. Mas o Guerreiro não salvou a Lua no final. Salvou? Ele a deixou para que morresse em suas próprias batalhas. 
Lembranças... Palavras... Odores... O coração se apertou no peito e uma lágrima rolou em sua face.
Não levaria nada. Assim como um dia ele também se desfez de tudo que ela lhe dera. Levaria apenas a si mesma e as suas asas. E em algum lugar reencontraria sua essência. Tinha sido suficiente tudo que passara para conservar esse amor no peito. Deixaria o amor também. 
A duras penas finalmente compreendeu que quando o amor nos desmonta e não se preocupa em remontar, quando o amor nos fere até sangrar... É porque não tinha amor ali. Amor cuida... Protege. Acreditava em uma única forma de amor e de amar, aquela em que o bem do ser amado vai além do nosso próprio bem. Esse é o jeito. O único aceitável. 
Levantou. Olhou em volta uma ultima vez. E resolveu deixar um ultimo bilhete com sua caligrafia perfeita:

Não me procure. Nem os deuses do Olimpo, nem o destino, nem sequer o acaso... Nenhum caminho desse mundo trará você de volta até mim. Você conseguiu. Finalmente me perdeu.

19 comentários:

  1. Gostei bastante da história

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ou juliana, tudo bem, nao sei se lembra de mim, ja sigo seu blog, ha um bom tempo, e vc segue o meu lavinianovis.blogspot.com
    Queria lhe avisar que estou com um novo blog, se chama Sweet Rock:sweet-rockk.blogspot.com
    Entao se gostar por favor siga e divulgue, bjs

    ResponderExcluir
  3. Oie minha amiga, tudo bem?
    Eu estou aqui novamente como prometido viu?
    Até porque tenho que compensar as minhas sumidas (risos)

    Olha, estava lendo o seu texto e gostei bastante, até porque eu gosto de ler essas coisas. Você quem escreve? Porque se for, tem muito talento para ser escritora em !! hehehehe...Te dou o maior apoio e sucesso para tudo que vc vier a fazer.

    Se cuida minha querida e parabens mais uma vez por essa lindeza que li
    bjokas

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Juliana,

    Que texto lindo.. eu amei... tão profundo, dá pra perceber a dor que ela está passando... "relacionamento cultivado no singular, nunca no plural". AMEI!!!

    Beijos
    Patty Santos - Blog Coração de Tinta
    http://www.coracaodetinta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Quem nunca teve um "relacionamento cultivado no singular, nunca no plural", não entende a dor dessa "idiota", né?
    Ainda bem que o amor próprio dela venceu. Me identifiquei bastaaaante com esse texto, que por sinal é maravilhoso. Estou passando por uma situação bem parecida, no momento, rs.

    Obrigado por esse delícia de texto, Juliana.

    ResponderExcluir
  6. Nossa, gostei muito do texto, bem profundo, e gostei da atitude, enfim, decidida da garota.

    Adorei o seu blog, estou te seguindo. Beijos :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  7. Oie Juliana, o texto e lindo e mto reflexivo. Gosto de pessoas decididas pq sou uma delas.

    Vim retribuir a visita e ja estou seguindo tanto o blog, como a fan page e o twitter :) seja bem vinda la no meu bloguito flor.

    bjiimm e otima quarta-feira

    http://www.lencos-e-aderecos.com/

    ResponderExcluir
  8. Abrir as asas e voar para longe do que nos faz mal as vezes vale a pena :')


    Beijos
    www.procurei-em-sonhos.com

    ResponderExcluir
  9. Que texto bem escrito, adorei. E a decisão dela no final foi perfeito, muito bom mesmo n.n

    http://nerdicesdeumagarota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Querida amiga

    Escreves como se
    usasses as nossas mãos.
    Triste ser perdido
    por alguém,
    pois nesta perda,
    muito de nós
    jamais será encontrado
    por outros olhos.

    Que os sonhos
    te enlacem a vida.

    ResponderExcluir
  11. Escreva um livro logo!! Hahaha
    Beijo,
    Vinícius - Livros e Rabiscos

    ResponderExcluir
  12. Um ponto no final. Algumas histórias não foram bem escritas, por isso, terminam sem chegar ao fim.

    Talvez tenha sido o enredo ou as circunstâncias. Apesar de tudo que foi escrito, não era uma boa história...

    Não seria justo, a Lua merece uma nova e bem escrita história da qual o guerreiro a salve antes do ponto final.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha nossa, que coisa linda Nilson!

      Como um lindo amigo e devolvedor de sorrisos, sempre cita quando eu tô meio triste:
      "Não cortaremos os pulsos, ao contrário,
      costuraremos com linha dupla todas as feridas abertas."

      Thanks por mais esse sorriso devolvido.

      *------*


      Excluir
  13. "Acreditava em uma única forma de amor e de amar, aquele em que o bem do ser amado vai além do nosso próprio bem. Esse é o jeito. O único aceitável." Lindo isso!
    Mais um texto incrível Juliana, parabéns (:

    ResponderExcluir
  14. Cada dia que passa seu blog fica mais prazeroso de ler . Amo seus posts ! *.*
    Que Deus te abençoe !

    - http://girls-of-christ.blogspot.com.br/
    - http://ask.fm/GirlsofChrist

    ResponderExcluir
  15. Gostei bastante Ju, porque as vezes temos a ideia de escrever e realmente sentimos, mas não é qualquer um que consegue desta forma admirável de por no papel e quem lê sentir-se tocado.
    Parabéns mesmo!!

    ResponderExcluir
  16. Oi Ju,como sempre com posts inspiradores,profundos que trazem palavras que fluem e de forma profunda e especial.Realmente o amor é assim!

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados