23 de mar de 2013

O outro lado



Inconstante, incoerente e insana.
Fechada pra qualquer laço.
Rindo dos outros e de mim.

O outro lado é infinito.
Aprecio a infinitude 
E me lanço nos abismos. 
Nada tenho a perder.

Sou minha própria dona ,
Não quero retas ou ninhos
Controlo pousos e voos.

A insanidade me governa 
E assim deixo ficar.



Somos meros fantoches de acasos tolos
Cambaleando no mundo, sem nexo algum.
A loucura nos protege de qualquer dor.

5 comentários:

  1. Linda poesia!

    Fez-me lembrar de uma velha canção sobre a vil bênção da (in)sanidade...

    "Clarisse sabe que a loucura está presente
    E sente a essência estranha do que é a morte
    Mas esse vazio ela conhece muito bem" (Legião Urbana - Clarisse)

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo, gostei mesmo, mostra uma forte personalidade, gosto de pessoas de personalidade forte!





    Me visita também: http://estandybooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Querida quando vezes eu vou ter que te dizer ESCREVE UM LIVRO GAROTA, UM LIVRO. Você escreve perfeitamente bem, adorei a poema/verso. Passa lá no blog tem post novo, esperando a sua visita.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Juliana!

    Realmente encantada com teus escritos. Amei!

    Seguindo.

    PS: Coincidência (ou não), moramos na mesma cidade. :)

    Vc tem facebook?

    Aguardoo tua resposta.

    Beijo!

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados