26 de ago de 2012

Rendição...


Tu me conheces como ao teus dedos.
 Meus anseios de eterna sonhadora.
 Sou de ti a mais votada adoradora.
 Em rendição lanço fora os meus medos.

 E se outrora arriscava a tua ausência,
 Não me atrevo a perdê-lo um segundo.
 Pois pra mim não existe céu ou mundo
 Sem que esteja atrelada a tua existência.

 Eu declino ao direito de uma vida,
Se for ela a procissão de tanta dor,
 Se de lágrimas e silêncio for esculpida

 Lapidada em vazio significado.
Antes o mel e o mais profano ardor,
 Da rendição ao meu eterno e doce amado. 


5 comentários:

  1. Alma e corpo rendem-se ao coração amado.
    Não há nesse mundo melhor cativeiro que o amor.

    Milhões de beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um mimo, adorei, viajei, delirei com seu post quentinho, coladinho, juntinho, o tio é um fã deste tipo de leiturra q me faz andar pelo etéreo céu da magia do faz de conta, pra vc bela poetiza bjos, bjos e bjosssssssssssssssssss

      Excluir
    2. Um mimo, adorei, viajei, delirei com seu post quentinho, coladinho, juntinho, o tio é um fã deste tipo de leiturra q me faz andar pelo etéreo céu da magia do faz de conta, pra vc bela poetiza bjos, bjos e bjosssssssssssssssssss

      Excluir
  2. Ah! O amor...
    Por amor, a rendição, pois sem o amor nada seriamos.

    Adorei!
    Rendo-me à sua poesia. (risos)

    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  3. Lindo render-se ao amor! beijos,chica

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados