20 de jun de 2012

Um sonhar que atravessa desertos


Eis que sonho um suscitar melodioso
E nessa canção de espera ritmada,
 Em que a minha boca mantém calada
Aqueles sentimentos que eu nem ouso...

Sinto brotar do chão árido o lírio.
Como se a terra também cantasse
E com sua força a mim falasse:
“A dor que andavas, era delírio”.

E o mar murmura a sua alegria
Secretamente imersa no escrito
Da mais banal suposta biografia

Enquanto eu sedenta no deserto
Fico a sonhar com o suposto mito
De pergaminho encantado e certo.







7 comentários:

  1. Linda poesia e sonhos fazem bem...beijos,lindo dia!chica

    ResponderExcluir
  2. _Eo mar murmura sua laegria...Um mimo, uma delicia seu poema, adorei e como sempre voltarei para bebericar mais emoções por aqui em outros momentos, pra vc bela poetiza bjos, bjos e bjosssssssssssssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Volte mesmo tio,tua presença faz a diferença nesse punhado de asas.

      beijos

      Excluir
  3. Muito legal!! nem sei como vim parar aqui no seu blog, srsrsrsr! Mas gostei muito e me identifiquei bastante com o jeito que vc escreve! Parabéns, e que Deus continue abençoando seu talento!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brigada Timar

      Que bom que veio nao é? Nao importa os caminhos que o trouxeram até aqui. Amém!

      Beijos

      Excluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados