28 de abr de 2012

Incompletos

&



Na solidão do meu abraço
Encontro o vestígio teu.
Em lembranças me embaraço,
Nos beijos que prometeu.

Sinto falta das conversas
E de contemplar teu rosto.
De como sempre me inversas
Por seres de mim o oposto.

Nisto se esconde a paixão
Deixando-me a ti preso.
Querendo entreguei-me a prisão.
Que pena! Fugiste ileso.

Que faço com o que sobrou
Da minha alma a penar?
Sem metade do que sou,
Sou metade no amar...


*´¨)
¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•`ღ*


Poema (suado) escrito com meu amigo, ora padre, ora carrasco, ora o riso do meu dia, mas sempre corintiano: Fulvio Ribeiro.
Conheçam o Blog  dele: Versos e Reflexões

2 comentários:

  1. Haaaa... Minha Amiga Juh, como é legal criar algo contigo, espero nunca perder essa oportunidade que cada vez se torna inédita. Sem falar do aprendizado.
    você é uma menina (verdinha) fantástica, e a cada dia que passa nossa amizade fica mais próxima na distancia, você tem um coração de ouro.
    Como poetisa nem preciso falar nada, quem acompanha o reticências sabe, estava lendo uma de nossas primeiras parcerias, quando seu blog não era assim tão chick e o meu tinha o layout preto (risos)...
    O tempo passou, mudaram as ideias, algumas certezas de antes hoje são duvidas... Porém nossa amizade continua crescendo, como uma bela flor no jardim da poesia.
    Gosto muito de você, grande Abraço...!!!

    (Só pra constar, não sou padre viu...!!! rsrs )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sempre um prazer escrever contigo. Vc é sucesso absoluto, sempre!
      Te adoro verdinho, muitoooooo! Obrigada pelos ombros distantes que sempre estao prontos pra acolher minha cabeça chorosa. Obrigada pelos conselhos sábios (as vezes doidos rs) que me oferta. E principalmente obrigada por ser meu grande amigo.

      Desculpa as chatices rs

      Vc é padre pra mim ;)

      Milhoes de beijos

      Milhoes de beijos

      Excluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados