14 de abr de 2012

Fase casulo



Estou na fase casulo. E não espero que ninguém entenda porque tenho que ser menos riso ou o porquê de ser menos sociável. Não espero compreensão de nenhuma parte, sou apenas mais uma pessoa entre tantas nesse mundo, sem nenhuma qualidade especial que me diferencie.
Não gosto de mim hoje. Nem do meu jeito, nem dos meus modos, nem de minhas tantas falas vazias. Não sou nenhuma sábia e descobri que sou melhor em ofertar conselhos do que em vivê-los. Hoje sou a pior pessoa do mundo.
Por isso estou me recolhendo. Escolho ser alguém melhor enquanto é possível, queria ir pra um mosteiro no Tibet, mas na falta vou entrar no meu mosteiro interior e descobrir onde foi que me perdi. “Em que espelho ficou perdida a minha face?”
Esse é momento de silêncio, de meditação e mudança. Vou viver isso. Esse processo doloroso de solidão. "Não há perdão sem consequências", alguém me disse isso. Espero um dia sair do casulo e encontrar minhas asas. E se não as encontrar... Que eu aprenda a caminhar.

3 comentários:

  1. Juliana querida,
    Acredito que de tempos em tempos todo ser humano passa por crises existências. Este processo é próprio da nossa evolução, não há como deter o progresso. Quando questionamos nossas más atitudes, enxergamos nossos erros e defeitos, conquistamos a oportunidade de lapidar o nosso caráter. É nessa hora que devemos nos perdoar e botar a mão na massa, pois a culpa e a fuga não edificam ninguém.
    Você sabe como é que o diamante conquista todo o esplendor do seu brilho? Pois é, ele só revela sua luz interior depois de passar pela “dor” da lapidação. Mesmo sendo machucada pelos golpes, a pedra bruta precisa passar por este processo, para então revelar o melhor que há em sua natureza.
    Nós somos como os diamantes, temos várias facetas carentes de lapidação. Os embates da vida são os instrumentos necessários a nossa lapidação, ou melhor, a nossa evolução. Só depois que vencermos as dores, a descrença, os vícios e o cansaço, seremos joias raras, prontas para brilhar no mundo. Confie no seu poder de superação, deixe sua luz interna resplandecer.
    Com carinho,
    Dilti

    ResponderExcluir
  2. Meus comentários estão chegando a ti!? rsrs ;)

    ResponderExcluir
  3. Não...estão...
    mas eu tinha dito que certamente voarás quando saíres do casulo, pois isso faz parte da natureza de todo ser que é levado a passar algum tempo nesse local.

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados