9 de mai de 2016

Amor insuficiente.

Lembro que quando criança perguntei a minha mãe se o amor existia e ela me respondeu:
 “-Amor? Amor até existe, mas não é suficiente. Tenta viver de amor, comer amor. Vestir amor. Amor é um luxo desnecessário.” 


Eu te amo profundamente
De um jeito que nem eu entendo.
Pena se você não  sente.
Pena se não está vendo.

Eu te amei em alto mar
Quando a outra pertencia.
Desde o primeiro olhar,
Desde o primeiro dia.

Eu te amei na tua luta
Por esse meu coração.
Quando ganhaste a disputa,
Meu respeito e afeição .

Eu te amei quando escondia
Quem de fato você era.
Quando em meio à fantasia
Era mais anjo que fera.

Eu te amei quando caístes
Apesar da minha fé.
E sem pensar me traístes,
Com mais de uma mulher.

Eu te amei no abandono
Na frieza e em meio à dor.
Querendo que fosse meu dono
Suplicando o teu amor.

Eu te amei na presença
Tocando braços e mãos.
E mais amei na ausência
Ignorando a razão.

Eu te amei de tantas formas
Que nem posso mensurar.
Esquecendo leis e normas
E mais amor queria dar.

Mas viver de amor é impossível.
É como semear uma estrela
Num céu de solo sensível
Com nuvens a escondê-la.

E mesmo ainda te amando
Esse tanto que eu te amo,
Devolves a mim o comando
Não ouvindo que te chamo.

Meu amor não foi bastante
Para te fazer me amar
E agora eu sigo distante
Sem nenhum luxo esperar.




*´¨)
¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•`ღ

Um comentário:

  1. Lindo poema, grande amor, pena, não vivido a dois... bjs, chica

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados