14 de ago de 2011

Uma história de amor em 11 atos ( 8º parte)


Foi dela a ultima tentativa de ir embora. Pra ver se conseguia desta vez ela nem se despediu. Limpou tudo o que lembrasse sua presença e foi embora sem dizer adeus. Fez isso porque ele disse que mais cedo ou mais tarde teriam que se despedir. Ela optou pelo mais cedo. Sinceramente? Dessa vez ele nem deu pela falta dela.
Mas ela sentiu como se tivesse tentando arrancar uma perna. E finalmente compreendeu algo que ele disse quando voltou: “Não funciona. Deixar você só piorou tudo e não é a solução. Não houve um dia que eu não pensasse em você”. Não funciona!
Se fosse fácil eles já teriam conseguido. Sou testemunha do quanto tentaram. A verdade é que se eles não nasceram pra ficar juntos, tão pouco nasceram pra ficar separados.  Dizem que o amor não é o bastante. Eu não sei se é ou não.
Sei que pra eles não saber nada um do outro é um grande tormento. E por isso mais uma vez ela voltou pra ele. Acho que o mocinho da minha história tem sim mais facilidade pra esquecê-la se decidir por isso. E apesar da história ser minha e de ter o poder criador de dar a ela o final que julgar melhor, meus personagens já ganharam vida própria.
E cabe a ele decidir o final dessa história...

Um comentário:

  1. Oi Juliana! Quantas idas e vindas... Acompanhando cada ato dessa história. Adoro esse cantinho! Bjusss

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados