6 de ago de 2011

Rodopios



Do belo e doce canto
Que envolve a pele sútil.
Move os mundos num ardil
Desfazendo-se em pranto.

Da quimera tão antiga
Quanto os temas universais.
Dentre fatos tão banais
Que por esse fato intriga.

Antes voltasse ao prado
Onde é plano o horizonte.
Lá onde o sonho é fonte
E a poesia mora ao lado.

Mas do prado resta à lembrança
Tao viva que entristece.
De bailar em utopia enlouquece
Perdeu-se nos passos de dança.

3 comentários:

  1. Coisa linda amiga...
    Nossa fiquei extasiada com a delicadeza das palavras...Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  2. Perder-se nos passos da dança. Viver em rodopios - lembranças.
    Adorei! um beijo grande

    ResponderExcluir
  3. Que lindo, senti-me rodopiar em seus versos! ;)
    Bjs! =*

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados