11 de mai de 2011

Final perfeito número II

Esse foi um beijo de despedida
Que se dá uma vez só na vida
Explica tudo, sem brigas
E clareia o mais escuro dos dias
(Nenhum de nós)

Ela esbarra em alguém na rua (é tenho fixação por esse negócio de esbarrar, desde que uma cigana “leu minha mão” aos 12 anos e disse que eu ia esbarrar - literalmente- no amor da minha vida, acho que ela não leu direito, sei lá... rs) Voltando à questão:

Ela esbarra em alguém na rua, esse alguém a segura fortemente e diz:

- Desculpe, eu... Eu conheço esse cheiro!

Nesse instante eles se olham. Ela se dá conta de quem é, o coração acelera, as mãos tremem, ela fica sem graça.

-Me desculpe senhor. Não quis incomodar

Ela vai saindo devagar, já com os olhos cheios de lágrimas e  ele grita:

- Ei moça!

Ela vira e olha:

-Você esqueceu uma coisa.

E estende a mão pra entregar. Ela se aproxima...
- O que?
- Isso!
E então ele a toma nos braços e num impulso intenso e antigo beija seus lábios, insistentemente até que ela se rende e retribui o beijo apaixonadamente. Seus corpos tão próximos... As batidas dos corações em um ritmo descompassado...

Por fim eles se afastam e ela pergunta:

-Por que? Por que isso depois de tanto tempo? Se já me esqueceu. Se pediu pra que eu o esquecesse...
- Porque eu não esqueci! Porque eu não podia seguir sem provar isso.

É... Também poderia ter sido assim. Seria... Muito bom! Rs
Ps: Cigana, se vc passar por aqui e quiser tentar ler de novo... Eu até fiz uns desenhos dessa vez. (vai que funciona? rs)
Juliana Lira

Um comentário:

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados