20 de abr de 2011

Lembre-se de mim

Se tiver de me esquecer, me esqueça.
 Mas bem devagarinho."
 (Mário Quintana)


Sinta a brisa tocando teu rosto.
Ouça o sussurro do vento.
Feche os olhos só um momento
E desfrute do adocicado gosto.

Do amor puro que ofereço,
Distante e descompromissado.
Desfrute do que é ser amado
Sem ter que pagar nenhum preço.

Sinta dentro da tua alma
O quanto te quero bem
Sem adendo e sem porém,
Amando-te com toda calma

 Desse lado o amor não tem fim
Mora no infinito, onde cessa o horizonte.
Feche os olhos só um instante
 E lembre-se de mim e lembre-se de mim...

Juliana Lira

Um comentário:

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados