6 de abr de 2011

Agora já posso chorar.


Agora qualquer coisa pode ser dita. Eu o afastei daqui. Lancei palavras ferinas, tão dolorosas que tive a certeza de que ele se manteria longe. Cada palavra que saia de dentro de mim pra machuca-lo, parecia um punhal que rasgava meu peito antes, e eu cheguei a pensar: Não vou conseguir! Mesmo ele tendo me ferido, não posso fazer isso com ele...
Mas fiz! Eu precisava de um lugar pra chorar minha dor. Um lugar seguro pra dizer que sinto tanta saudade que dói, um lugar pra dizer que eu o amo! Nunca antes foi assim, tudo foi apenas um rabisco, algum tipo de preparação pra o que realmente seria o amor. Infelizmente o amor não é um quebra cabeça em que as peças se completam com perfeição. Não nesse caso. Vai sempre haver esse espaço, vazio...
Lembro de como tudo foi perfeito, minhas mãos nunca tremeram tanto. Eu nunca tremi tanto, só por estar ali, tão perto dele. E eu quis largar tudo e paralisar o tempo, eu quis que um filme tivesse infinitas horas... Mas eu já o conhecia tão bem... Eu sabia que ele ia se arrepender, que iria olhar pra trás e virar estatua de sal. Deus me ajude a atravessar esse novembro. Deus me ajude...

Juliana Lira

6 comentários:

  1. Querida amiga, como sempre um belíssimo texto. Adorei. Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Este é um dos momentos em que jamais conseguimos esquecer, um momento de extase, de muito sentimento.
    beijos querida juliana

    ResponderExcluir
  3. Marilu

    Linda é a tua delicadeza sempre.

    Milhoes de beijos

    ResponderExcluir
  4. Sandrio cândido.

    Nem eu tampouco , desejaria esquece-lo.Fica pra sempre no coração.
    Há sentimentos que ultrapassam a nossa capacidade de “deixar pra trás”,
    Eles são esquecidos de dia, mas dormem conosco a noite.
    Esse é um deles! Se eu tivesse vivido isso aí, tenha certeza:
    Já estaria no meu sangue, fazendo parte de mim.

    Milhões de beijos

    ResponderExcluir
  5. Pelos caminhos da vida.

    Feliz em te ver aqui aninha!

    Milhoes de beijos

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados