12 de jan de 2011

O sábio.

FOTO: weheartit
ESCRITO por Juliana Costa de Lira

Ao avaliar sentimentos
Tão sábio se intitula.
Que especula
Ser mero momento.

Vício barato e vadio.
Como o que a ti foi dado,
Sem real significado,
Consolo torpe e vazio.

Ignora a verdade:
Verdadeiro foi o amor.
Tão quanto à dor
Da suposta deidade.

 E ela pária sem sorte,
No peito ardia o punhal.
Essa dor descomunal,
Cessaria só com a morte.

Uma forma ela encontrou.
Não fique, então, enervado,
Se agora foi consertado,
Aquilo que você quebrou!

4 comentários:

  1. Vou até mandar pra uma amiga que está aqui falando no msn comigo. Acabou com um relacionamento e cabe direitinho Lindo viu miga e muito bem escrito como tudo que faz. Montão de bjs e abraços
    Elaine Barnes

    ResponderExcluir
  2. Olá neste sábado em meu blog minha coluna poética, uma homenagem ao grupo Roupa Nova e Bruno Martins no chá das 5. Conto com sua visitá lá.

    informativofolhetimcultural.blogspot.com

    Magno Oliveira
    Folhetim Cultural

    ResponderExcluir
  3. De volta pra saber se você está bem e dizer que estou com saudades. Montão de bjs e abraços

    ResponderExcluir
  4. As veses ser Sabio é fechar os olhos ao que nos acontece em volta e só abri-los bem mais tarde quando esta tudo acabado... bjsss

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados