28 de dez de 2010

Fim...

FOTO: Google imagens
ESCRITO por Juliana Costa de Lira

O que se pode dizer do amor
Que nasce em solo estéril,
Tão pálido de tudo e débil,
Mas com ares de cantor?

Que povoa todos os sentidos
Com misteriosa canção.
Provocando comoção
Em um ser de peito ferido.
 
'Ser' que se desmonta no ar
Como lego em fim de brincadeira
E só encontra uma maneira
De se reconstruir: amar...

Que dizer de tal amor [Inefável]
E dessas muralhas ao chão
E dessa ausência de razão
Que o torna tão instável?

Como explicar o sonho desfeito
A frieza impregnada de sentido,
Da voz que já não emite ruído,
Mas ainda faz sangrar meu peito?

Ouve-se o silêncio do universo.
É o meu ‘eu’ explodindo em dor,
Chorando pelo fim desse amor,
Apenas expresso em verso...

5 comentários:

  1. Quando o amor se vai...ficam sempre saudade e dor.
    Mas passa, e o bom da vida é justamente isso...Tudo sempre passar.
    Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  2. uiaaaaaaaaaaaaaaa qlindo texto adorei... parabéns!!! adoro seu canto viu nunca esqueça disso! bjos

    ResponderExcluir
  3. Olá!!!! Passando para desejar um Ano Novo maravilhoso e iluminado....

    Até Ano que vem....

    ResponderExcluir
  4. O que fazer sem um amor pra viver? Ficcar isenta de marcas e história, aprendizado e crescimento? Que venham quantos amores forem necessários pra gente sentir na alma a nossa própria capacidade de amar para aí então aprender a receber e usufruir sem tristeza e drama do maior prsente da vida: O Amor verdadeiro! E Esse minha doce amiga é nosso e podemos escolher a quem entregar e também recolher quando é maltratado e desvalorizado. Que o Ano Novo lhe traga cores,flores,amores para colorir sua vida. Montão de bjs e abraços de saudade viu!

    ResponderExcluir
  5. Falando em fim, venho lhe desejar um fim ano maravilhoso e um 2011 ainda melhor!

    bjs!

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados