24 de jan de 2010

A Lira de Juliana

Essa semana ao ler meus emails encontrei este presente nada singelo (pois foi a coisa mais linda que alguém fez por mim em tempos...) da minha mais nova amiga, Ana Cristina Quevedo, e me emocionei.Tinha mencionado em um dos meus comentários que adoararia ter uma irmã como ela a me escrever poemas.E eis que ela me presenteou com esse canto superlativo.




Poema escrito por Ana Cristina Quevedo



Juliana toca a Lira 
Com dedicada atenção 
É dela que tira os acordes 
A formar do poema, a canção 
 
Ela que parte, que sonha tão alto 

Como ave voa em sublime afã 
E apesar de sofrer alguns sobressaltos 
A moça acredita, confiante, no amanhã

Princesa na torre, debruçada no balcão
 Não espera por Príncipe, ela faz seu caminho 

E toca a Lira, a espantar a solidão 
Entregando em palavras, sua essência -  a paixão

Em meios a velhas gavetas esquecidas, a procurar
 Juliana canta, a decifrar suas memórias 

Descobre-se face da Lua, pelo céu querida 
Amando, plena, a criar história

Por vezes a tristeza encobre seu olhar 

A pensar que não foi bússola, nem mapa a guiar 
Confiante no Pai ela contrita ora 
A pedir paz na alma que chora

E se perguntas, como lhe vai o coração 

Recolhe o silencio, na alma a vagar 
“Amo, perdôo, estendo a mão”: 
E agora, vês o que estou a contar? 
A Lira de Juliana está a encantar



Conheça o blog da Ana, vale muito a pena!

5 comentários:

  1. Lindo poema amiga, vou agora mesmo conhecer o blog dela.

    Uma semana de luz.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  2. Que a minha solidão me sirva de companhia,
    que eu tenha coragem de me enfrentar,
    que eu saiba ficar com o nada
    e mesmo assim me sentir, como se
    estivesse plena de tudo".

    Clarice Lispector


    Desejo uma linda semana para você.
    Abraços com todo meu carinho

    ResponderExcluir
  3. Até eu chorei. Emocionante,sensível, nossa! Concordo com cada verso. Parabéns pelo presente. Logo irei na sua amiga. bjs

    ResponderExcluir
  4. Pelos caminhos da vida
    Realmente lindo Aninha...

    EDUARDO POISL

    Caro, a Clarice nos dá cada lição!"Que eu saiba ficar com o nada e mesmo assim me sentir, como se estivesse plena de tudo"

    Elaine Barnes
    Elaine vc é um chocolate suisso!rsrsrs Sou suspeita pra falar desse poema.

    Ana Cristina Cattete Quevedo

    Se eu gostei?rsrsrsrs Não! Nem gostei... Eu amei!!!! Achei a demonstração mais doce de carinho e amizade que alguám poderia me fazer.
    Me emocionou...Demais mesmo.Obrigada Ana Cristina.

    Milhões de beijos a todos

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados