1 de dez de 2009

A última prece...

 Parte II

 ...Iria ao mar e lá na profundidade das águas depositaria a profundidade da sua alma.

Texto por Juliana Costa de Lira


Caminhou com passos seguros em direção as águas, havia certa fúria em seu semblante, fúria do mundo e de si mesma. Seus pés tocaram a água, sentiu um calafrio, estava gelada.Estava escuro e por um momento assustou-se com a imensidão das águas.
Sempre se assustava com o que não podia controlar, havia sido assim por toda sua vida, por isso escolhera caminhos que podia guiar, controlar... Talvez por isso a entorpecência a irritava tanto, era algo de que não tinha controle algum.
Decidida foi caminhando para frente, a água já chegando a sua cintura o frio fazendo seus dentes trincarem, olhou para o céu e viu a lua, tão pálida e distante aquela noite, o céu estava tão lindo!Podia sentir a beleza envolve-la, uma certa magia no ar, sempre fora assim, sempre preferira a noite ao dia, sempre a encantava mais a palidez da lua, que o calor  e a luminosidade do sol.
Olhou para a praia deserta, já um pouco distante, as ondas castigando seu corpo, o vestido começando a pesar. O que aconteceria depois? Haveria outra vida? Haveria castigo, inferno? Não sabia dizer. “Uma ultima prece”. Faria sua ultima prece antes de dizer adeus a esse mundo."Melhor começar logo", silenciosamente orou:
“Deus, sou grata a vida que tive ainda que breve por minha própria escolha. Que aqueles que me amam encontrem a paz e possam um dia me perdoar. Que aqueles que eu amo e amei sejam felizes, como eu não fui. Que haja sempre uma rosa a florescer em meio aos espinhos, que o sorriso de uma criança sempre possa desarmar um coração duro, e que o amor brote no coração do homem como a erva na terra. Como queria achar sentido de novo, como queria  que um caminho se abrisse em meio ao abismo! Ah, se houvesse uma opção para isso, uma única opção... mas esperei por milagres a vida toda e definitivamente não apareceram. Então que seja assim, que nesta noite com o luar como minha testemunha e o oceano como minha última morada eu encontre o fim. Amém”
E então prendeu a respiração e mergulhou, deixou-se afundar e afundar, sem nem ao menos tentar por um segundo reaver o fôlego. Começou a inalar a água salgada estava sufocando, algo estava queimando dentro de si e um desespero atordoante tomou conta do seu ser, as ondas não a deixavam mais controlar seu corpo.Tentou subir, mas foi em vão, então sentiu como se estivesse sendo arrastada para algum lugar e de repente não tinha mais consciência de nada.
Teria morrido? Ouvia uma voz chamando ao longe, sentia ar entrando pelos seus lábios e o corpo todo doía.
- Vamos sua idiota acorde!
-Onde estou? O que?...
-Aparentemente tentando se matar, se eu não estou enganado, e arruinando minha noite com certeza!
Abriu os olhos, não, não tinha morrido!Estava na areia da praia, mas como?O que tinha acontecido?E então o viu.
-Quem é você?
Perguntou com a voz rouca, doía tentar falar. Um rosto aborrecido respondeu:
-Parece que sou a resposta para as suas preces!

Continua...

12 comentários:

  1. "...sempre se assustava com o que não podia controlar..." Esta é uma boa questão a refletir.

    Beijos, Ju.
    Be continued

    ResponderExcluir
  2. Uma história que nos prende e nos faz querer saber mais e mais!
    Aguardo pela continuação!
    Beijo,
    Judite

    ResponderExcluir
  3. Adorei. Perfeito.

    Mesmo que o final pareça mais um pedaço do livro da Identidade Bourne.
    Sou apaixonada por afogamentos.

    ResponderExcluir
  4. Muito envolvente e bem escrito, espero o final. Obrigada pelo comentário lá no asas, claro que crecer dói para alguns que foram criados ouvindo essa frase e para outros não, que foram criados para crescer e acreditar na vida.Todas nós vivemos ilusões até amadurecer independente da idade cronológica.Gostei demais do texto e da sua visita. Bjão

    ResponderExcluir
  5. Menina, parabéns! Continue por favor!..........
    Beijos! Adoro vc!

    ResponderExcluir
  6. Olá! Dei uma passadinha por aqui,

    só para ver como você estava

    e te desejar um

    ÓTIMO DIA!!!



    Lembre-se, hoje é um dia muito especial,

    Melhor que ontem e muito melhor que amanhã,

    Hoje você têm a oportunidade de fazer as coisas diferentes.

    Bom Dia!!!

    beijooo.

    ResponderExcluir
  7. Pô,tô grudado nessa estória!O que vai acontecer agora?Ela vai achar um caminho?Ela vai reagir?Ela vai tentar de novo?

    E quem é esse cara que surgiu do nada, mó suspense, pensei que ela tinha morrido ali.
    Guria tu escreve muito,vê se tu terminas logo essa estória, porque já tô ancioso.

    Fiquei curioso pra saber a aparência da garota.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Adoreeiii .. vamos quere um proximo capitulo ..shushushushs
    linda vc sempre arrasa ..
    bjokasss

    ResponderExcluir
  9. Ju,

    Que lindo... mais um lindo texto saído do teu sensível coração!

    Uma noite de paz, querida!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Vim retribuir a visita e deparei-me com um texto tão bem escrito...! Obrigada :)

    Dizem que opções sempre existem...

    bjs e muito prazer ;)

    ResponderExcluir
  11. História mito bem construída, que prendeu toda a minha atenção...parabéns

    Com tempo talvez queira passar por um blog amigo
    http://karldjomenestrel.blogspot.com/

    Abraços

    ResponderExcluir
  12. "sempre fora assim, sempre preferira a noite ao dia, sempre a encantava mais a palidez da lua, que o calor e a luminosidade do sol." Os Românticos preferem a luz, sombria, da lua do que a Luz, fervorosa, do sol. A deusa Lua, e seus pormenores! Amo a lua, como bom Romântico que sou, assim como tudo que trevas são! Mas não desprezo a felicidade da luz do sol!

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados