2 de nov de 2009

Tolos



Por Juliana Lira & Paulo Roberto

Fico imaginando essa sua presunçosa pessoa,
Perdida nos braços dessa apagada criatura,
E sozinha rio de como a pobrezinha deve ficar,
Perdida e perturbada fazendo uma triste figura.

De tola se veste eu penso comigo,
Imagina que o peito é pra ti mais que amigo,
iludida com a face sorridente, um perigo,
do moço in'decente que caminha contigo!

Crê que de tudo sabe este rapaz!
Com os seus lábios profere paixão a ela.
Mas quando muito sente a carne em chamas,
E nada mais consegue ser capaz...

Arrepia na pele a loucura insana,
do coração ranca pedaços, coitada da moça,
que perdida sonha com nuvens douradas até mesmo lavando a louça,
e ele espera a partida repentina ja arrumando a bolsa!

E que cômico tudo isso estava se tornando,
Não percebia como essa história era banal.
Perdido em devaneios da sua "adorada paixão",
Criatura mais tola nunca vi igual!


Ps:O poeta mora aqui

5 comentários:

  1. Nossa - isso que é chamar de um poema direto -

    ;)

    Abração...

    ResponderExcluir
  2. Caraca, que lavada em! As vezes épreciso "vomitar" o que tá nos indignando. bjão

    ResponderExcluir
  3. Vim deixar meu beijo meu carinho e te desejar uma linda noite!
    Que nesta noite, você tenha a paz que precisa para repor suas energias físicas, emocionais e espirituais.
    Nunca esqueça que Pelos Caminhos da VIda você está presente dentro do meu coração.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  4. Intenso demais... Amei!
    Bjos no coração!

    ResponderExcluir
  5. Menina!!!!o que é isso
    Pura magia...
    Lindoooooooooooo
    Amei...
    Parabéns aos dois autores.

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados