28 de nov de 2009

A decisão...

Parte I
 Texto por Juliana Costa de Lira

Ela se afastou de tudo aquilo que acreditava, em pouco tempo tudo em que sua vida estava alicerçada tinha ruído. Não havia metas a seguir, nem pessoas a quem ela pudesse esperar, não havia mais nada.

Pouco a pouco ela se afastava de tudo o que trazia algum sentido, alguma razão, e se embrenhava mais e mais por um caminho tortuoso e vazio. Ali nesse novo caminho que agora percorria só, havia escuridão e ausência, uma ausência que doía na sua alma, mas ela queria ignorar, ignoraria tudo, tudo!Desde que conseguisse chegar a algum lugar, qualquer lugar...

Tristemente observava: a medida que chegava mais perto do nada, afastava-se também da pessoa que um dia fora, e percebia ferir cada vez mais pessoas com isso. Não havia mais razão, nem coerência em nada que fazia. Era apenas uma folha que o vento carregava de um lado para o outro.

Quando depois de horas de viagem, varando noite adentro sem destino, se perguntado se em algum momento encontraria uma saída pra todo esse vazio em que sua vida se encontrava, finalmente tomou uma decisão: Luna decidiu morrer.

Ela faria, encontraria o meio adequado um que não ferisse mais ninguém, um que trouxesse alívio a todo aquele tormento, porque simplesmente não suportava mais a entorpecência.

Com a decisão tomada e a cabeça em um turbilhão, Luna chorou. Tinha imaginado tantas coisas para sua vida que agora era triste vê : nada iria se concretizar.Mas pensou consigo: “Pelo menos isso terá fim, procurei sentido, mas não há sentido algum!”Decidiu então que o melhor seria uma fatalidade, assim não desapontaria mais ninguém. “Afogamento”, pensou  Luna. Iria ao mar e lá na profundidade das águas depositaria a profundidade da sua alma.


Continua...

22 comentários:

  1. beijo você muito,
    e sua palavra em mim
    lua clara na escuridão...

    sonho e amor,

    do seu menino-homem

    ResponderExcluir
  2. Menina cada dia melhor...parabens
    beijão

    ResponderExcluir
  3. Vou seguir esta história, ela me faz lembrar tristes dias de minha vida, quando por duas vezes tentei tirar minha vida.
    Coisas do passado que ainda me ferem.
    Vou ler vc.
    Bjos querida!

    ResponderExcluir
  4. O que posso dizer juliana!
    Sempre mais sempre mesmo temos como fazer uma escolha por mas dificil que possa parecer no momento...pare e olha a situação como se vc estivesse de fora olhando vc mesma como num teatro e presta atênção em tudo, nas falas gesto vc vai achar uma saida e ai vai ver que o que parecia o fim na verdade é um novo começo.
    bjss cada dia vc fica melhor.

    ResponderExcluir
  5. Jujú,
    menina como vc está desabrochando lindamente...
    Vc escreve divinamente viu?
    Eu jamsi chearei aos seus pés, na maneira tão linda em escrever.
    Jú, estou de volta !!!!
    Espero poder contar com suas vsitas novametne, pois vc sabe que eu tenho um carinho enorme por ti né?
    Te adoro.
    Tenha um lindo domingo,
    com carinho,
    Gi

    ResponderExcluir
  6. E eu achei você outra vez.
    Some não.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Porque será que os pássaros
    Cantam na partida do dia
    Porque será que um amante ausente
    Fica de alma apertada, vazia?

    Porque será que as ondas lamentam
    Em sussuros de sal no areal
    Porque será que as rezas são feitas
    Para correr para o longe o perverso mal?


    Boa semana


    Doce beijo

    ResponderExcluir
  8. Por vezes olhámos em volta e estamos cercados de gente, mas no fundo estamos sozinhos!
    É nessa solidão que temos que encontrar as forças necessárias para lutar. Alguém estará sempre ao nosso lado para nos estender a mão.
    Um beijo,
    Judite

    ResponderExcluir
  9. Nunca não há nada.

    Até por que o nada não faz sentido, nem morto, quando se morre, o corpo entra num processo de decomposição, isso é algo, e não nada, a alma ainda é uma incógnita, ou seja, sem resposta se é nada ou não, e depois de se decompor, você vai ser o adubo da terra, o que auxilia na vida...
    Ou seja, o nada não tem significado.

    Sempre se tem escolhas, caminhos por onde seguir, opções pra escolher e sentidos pra compreende. Tudo depende da sua visão, se desistir, no final quem vai perder a razão é sempre você, ninguém quer saber por que você desistiu, mas querem saber de todo o resto que dependia de você e ficou na mão, querem saber se você se importava com quem ficou na saudade, com quem dependia do seu prosseguir, desistir nunca é uma saida, é apenas um decisão errada, que te atormenta, te indicando um suposto caminho mais fácil...

    Pense duas vezes, se precisar, pense três, olhe por outros ângulos, e no fim, sempre, sempre mesmo, haverá uma suave, saudável, e certa saída!

    Beijos Juh, Luna não merece morrer!

    Te amo!!

    ResponderExcluir
  10. Oi Juliana!
    Quando a gente pensa que não tem mais pra onde correr, quando a vida não tem mais sentido, quando a única saída é a morte, é neste momento que estamos nos refazendo. É sentindo este enorme abandono que a Luna vai se encontrar, reformulando valores e o conceito sobre a vida.
    Ao se chegar no fundo do poço, a única saída é subir!
    Bjussss

    ResponderExcluir
  11. ...olá querida linda!
    que gostoso receber sua visita
    e tbm poder estar aqui lendo você,
    que está me saindo uma contista
    de primeira.

    deixo bjs e promessas que voltarei.

    ResponderExcluir
  12. Acho que decisões precipitadas só nos presenteiam com mais duvidas, não acho que acabar com a vida seja a solução, afogamento doi e machuca quem morre e quem perde.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  13. texto com continua é foda!
    ela devia pensar mais antes de agir.
    beijo

    ResponderExcluir
  14. concodo com juu, ela deveria pensar bem antes de qualquer atitude.
    adorei, me senti dentro da historia por alguns momentos.

    beijos e boa semana

    ResponderExcluir
  15. toda a decisão tem um quê de irreversibilidade, mas esta tem uma irreversibilidade permanente.

    ResponderExcluir
  16. Parabéns pela indicação no GB vc merece amoreco!
    bjinhos da Madrasta!

    ResponderExcluir
  17. Menina você é ótima, e esta cada dia diferente.
    O que me chamou atenção, foi que a luna se afastou de tudo o que acreditava... E geralmente quando fazemos isso, só encontramos pela frente a morte, não que ela seja ruim, mas temos que encontra-la no momento certo, nunca antes. Eu não creio nesse final para a bela luna.
    Grande beijo

    ResponderExcluir
  18. Oi, Ju!

    Uma leitura muito bonita e sensível...

    Uma semana de paz!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  19. (continua...)

    Ainda bem, porque a vontade de morrer, de sumir, sem machucar nem ferir, por vezes é grande, mais nunca jamais deverá ser maior que a vontade de viver.

    Bjinhos em ti
    Mah

    ResponderExcluir
  20. "... E de novo acredito que nada do que é
    importante se perde verdadeiramente.
    Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas,
    dos instantes e dos outros.
    Comigo caminham todos os mortos que amei,
    todos os amigos que se afastaram,
    todos os dias felizes que se apagaram.
    Não perdi nada,
    apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre."

    Miguel Sousa Tavares

    Abraços com todo meu carinho.
    Uma linda semana com muito amor e carinho.

    ResponderExcluir
  21. cara é bem o que estou sentindo agora... Muito lindo o texto! beijos

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados