7 de jun de 2009

Sobre a fé no amor...


Texto tirado do seriado Greys Anatomy

"Sabe quando você era uma garotinha e acreditava em contos de fadas? Aquela fantasia de como sua vida seria - o vestidinho branco, o Príncipe Encantado que iria te carregar até o castelo...

Você se deitava na cama à noite, fechava os olhos e acreditava piamente em tudo. No Papai Noel, na Fada dos Dentes, no Príncipe Encantado - eles tavam tão perto de você que dava para sentir o gostinho deles.

Mas aí você cresce e um dia você abre os olhos e o conto de fadas desaparece. A maioria das pessoas acabam então se dedicando às coisas e às pessoas em que confiam.

Mas o lance é que é difícil se desprender totalmente de um conto de fadas porque quase todo mundo tem um tiquinho de fé e esperança que uma dia eles vão abrir os olhos e tudo aquilo vai se tornar realidade.

Ao final de um dia, a fé se torna uma coisa engraçada. Ela aparece quando você menos espera. É como se, um dia qualquer, você percesse que o conto de fadas é um pouco diferente do seu sonho.

O castelo pode não ser bem um castelo. E que não é tão importante ter um "felizes para sempre" e sim um "felizes nesse exato momento". E, uma vez ou outra, as pessoas podem até te deixar sem fôlego... "

2 comentários:

  1. Olá Juliana,
    Foste visitar o Pequeno Milagre? Hehe... Obrigada, linda.
    Eu acredito em conto de fadas e em todas as maravilhas fantásticas. E que mal há nisso?
    As coisas boas e inocentes da nossa infância são para perdurar. Acho que este é o oásis interior que nos defende de dias cruéis... Lembranças. Boas lembranças, fantasia, imaginação...
    Viva a vida!!!

    ResponderExcluir
  2. Sabe, Ju... meu Principe apareceu, fomos felizes por um momento, mas depois ele me disse q nao queria virar sapo e foi embora, simplesmente assim...
    Dai ele me disse q principes nunca existiram... foi dificil pra mim, mas hoje aceito isso!

    Mas confesso q no fundo, lá no fundo eu ainda creio que há alguns perdidos por ae.

    BeijOs meus

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados