5 de jun de 2009

Eu...


Posso ter a doçura do mel,
a melancolia de um dia nublado,
ou a ferocidade de um tufão.

Posso ser meiga como criança,
ser sensual como uma mulher,
sábia como uma idosa.

Tenho em mim cores
pastéis, tenho o preto
e tenho o branco.

Tenho a forma de um caleidoscópio,
a forma que quiseres dar,
sou teu espelho.

Sou a lua em noite estrelada
ou o fogo que aquece teu ser,
mas se estiveres sedento
tua água eu posso ser.

Serei a mão que te conduzirá
nos momentos difíceis,
serei teu abrigo.

Poderia ser ponto final
tentaria se quisesses,
mas nem virgula
conseguiria ser.

Eu sou Reticências.
O que vires em mim
o que imaginares,
e o que quiseres
Sou eu...

Por Juliana Lira

4 comentários:

  1. És a mulher perfeita então! Com poesia e a beleza na alma. Beijo moça bonita

    ResponderExcluir
  2. Maravilhosa!

    A essência de ser tudo,
    sem deixar de se ser!

    Você é incrível Juh...

    ResponderExcluir
  3. o que imaginares,
    e o que quiseres
    Sou eu...


    lindo Ju, Caleidoscópio city é assim mesmo,
    é só imaginar e pintar com a cor que quiser.

    sou teu fã!!!!

    ResponderExcluir
  4. Vim ler o seu primeiro poema.
    E fiquei deslumbrado com o seu enorme talento poético.
    Parabéns, querida amiga Juliana.
    Beijo.

    ResponderExcluir

Me conta tua impressão sobre o que leu, que eu te conto o que tua impressão me causou.

Posts Relacionados