8 de jan de 2017

Para sobreviver...

Você pensou que eu fosse quebrar?
Não foi por falta de querer, ou por falta de amar
Eu teria ficado apesar de tudo.
Teria vencido o medo,
Teria brigado com o mundo.
Esqueci de mencionar que não quebro?
Que entorto, que envergo.
Que eu me machuco e sangro,
Sinto tudo intensamente, bem ao âmago.
Mas não quebro.
Eu S O B R E V I V O
E é para sobreviver que parto.
Mesmo ainda te amando.
E assim...
O melhor eu te desejo.
Mas por não ter sido, por ti, amada.
Parto torta, envergada.
 Sem chão, sem eixo.

Hoje... Finalmente...
Te deixo!

3 de jan de 2017

Por mais um dia...


Tem cheiro de chuva nosso encontro
Nossas mãos se tocam e sentimos o universo nas pontas dos dedos.
Teu toque me lembra colo de infância.
Teu abraço faz meu coração acalmar.
É como ser abraçada por nuvens de algodão,
Como voltar pra casa.
Tem som de melodia ritmada a tua voz,
Fecho os meus olhos para ouvir melhor,
Tua voz dança nos meus sentidos, cantando sonhos.
Eu suspiro.
Teus olhos são como olhar um horizonte de paz
Mergulho neles.
Sou inundada por tua essência de ser
Pedaço de perfeição vivente que mais parece um sopro de sonho.
Te abraço mais, mas nunca é o bastante.
Eu amo cada pequena parte que te perfaz,
as grandes partes também.
Nos dias felizes, sorrio dos nossos segredos, 
daquelas coisas só nossas,
Nos dias difíceis eu continuo respirando,
Respiro profundamente até sentir a perfeição
Expiro as tristezas e te inspiro até sentir as estrelas.
E é nesse momento que agradeço a Deus, ao universo, a poeira estelar...
Ao que quer que tenha te trazido até mim.
E rogo por mais um dia atado por nós,
nesse mundo consumido de eus.


Feliz 2017


26 de dez de 2016

A miragem


Nas terras altas da magia
Onde o canto dos pássaros
Embalam a vida dos poetas
Encontrei-te.

Livre... Faminto pela imensidão!
Reinando acima dos mortais
Simples mortais...

Um ser tão igual a mim,
Senhor das terras de seu peito.
Alma e sentimento
Em cada poro do seu ser.

Exagerado, diferente, incompreendido!
Tal qual a minha imagem,
Um encantador de serpentes
Que controla todos os crepúsculos.

Acho que foi o desejo
De saber não ser a única
A observar o vôo dos pássaros,
A vigiar as borboletas.

Destino, acaso ou coincidência?
Quem te trouxe até mim?
Quem me levou até você?

Talvez minha alma cansada de vagar
tenha criado suas palavras,
tenha formado sua face,
tenha gerado uma ilusão.

E então tudo foi miragem.
Todo canto e poesia
Miragem!
Toda forma de magia...

Miragem!
Miragem?
Miragem...

E então vc vai entender?

Que eu sigo as mesmas fases que a maré,
Que eu  danço tango nos declínios da vida,
Que dentro de mim mora a paixão desmedida,
Que por aqui nada que parece é.

Vai descobrir que reclamo aos berros e canso,
Que derramo um mar de lágrimas desvairado,
 Em um segundo tenho o coração descompassado,
Para em seguida tê-lo batendo calmo e manso.

Porque sou ao mesmo tempo: Ave, Fogo e Lua.
Como quem tece um fio de estrelas, crio laços,
Como um castelo de cartas ao vento, eu os desfaço,
Assim  mantenho o peito aberto e a alma nua.

Mas... Deixe-me desenhar a resposta dessa questão:
É quando pensas que não consigo nem andar,
Que saio das cinzas e me ponho a voar!
Sou um campo vasto demais para sua compreensão...

Republicado